Casos de dengue dobram em um ano em São Paulo

Entre janeiro e agosto de 2017, foram confirmados 4.044 casos; este ano, o número subiu para 8.979 no mesmo período

 

O mosquito "Aedes aegypti", principal portador do vírus da zika e dengue (John Eisele/Colorado State University Photography/Divulgação)

 

O número de casos de dengue no estado de São Paulo cresceu 122% em um ano, apontam dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) da Secretaria Estadual da Saúde. Entre janeiro e agosto de 2017, foram confirmados 4.044 casos; este ano, o número subiu para 8.979 no mesmo período. Grande parte das pessoas contraiu a doença nas cidades onde moram; apenas 7% (619 dos casos) foram importados de outra cidade. 

 

A capital paulista apresentou notificou 7.790 – o maior número de notificações da doença –, mas apenas 448 foram confirmados por exames laboratoriais. As cidades mais atingidas pela dengue estão no interior: Santo Antônio de Posse, distrito do município de Campinas, tem 864 casos confirmados; em Araraquara, a 270 quilômetros capital, 709 pessoas contraíram a doença.

Altos e baixos

Apesar da alta expressiva, os registros têm declinado ao longo dos últimos anos. Em 2015, houve 678.031 registros de dengue; em 2016, 162.947. Entre esses anos, o estado de São Paulo sofreu com uma explosão de casos; no ano seguinte, no entanto, o número de pacientes confirmados foi atipicamente baixo.

 

Segundo especialistas, esse evento pode ser explicado pelo fato de que os indivíduos tendem a desenvolver anticorpos por causa das epidemias, aumentando a imunidade e diminuindo a reincidência. Já em 2017, houve uma redução significativa, com 6.269 casos confirmados.

 

Embora o número de casos seja maior em 2018, as mortes provocadas pela doença (92) foram inferiores em comparação com o ano passado (39%).

#LendoRepassando

 

Matéria:  Veja Saúde

Please reload

Direitos Reservados

Guia Indicador - Dez Anos